Pular para o conteúdo principal

Boeing x Embraer: Ministro quer evitar subordinação dos assuntos militares à legislação americana

Raul Jungman (Estadão)
...o que tem dificultado o desejável jogo ganha-ganha entre Brasil e Estados Unidos são as questões de propriedade intelectual, de transferência de tecnologia e controle regulatório e legal por parte do Congresso americano. Isso porque, num modelo de subordinação de governança corporativa o desenvolvimento de novas capacidades militares e tecnológicas ficaria sujeito à legislação estadunidense. O que poderia implicar a perda de desenvolvimento de tecnologia e de conhecimento no Brasil, porque as relações que imperam nessa área não são regidas pelas leis de mercado, mas por estratégias geopolíticas e de defesa nacional.

As preocupações do Ministro da Defesa fazem sentido, no que diz respeito a uma eventual subordinação da empresa brasileira - responsável pelo desenvolvimento de produtos e tecnologia militar - ao controle do Congresso americano. Já os críticos da Embraer alegam que ela obteve créditos junto ao BNDES - R$85,9 bilhões entre 2001 e 2016, créditos esses usados para expandir empregos em outros países. Não está claro qual é a relação deste fato com a proposta de aquisição de feita pela Boeing, ainda que as políticas do BNDES venham sendo duramente questionadas há anos.