Pular para o conteúdo principal

Começa o julgamento Waymo (Alphabet) vs Uber: o que você precisa saber sobre a disputa nos tribunais

Tudo começou há exato um ano atrás (fev/17), quando a Waymo moveu uma ação judicial contra a Uber acusando a empresa de usar as especificações técnicas dos radares a laser [Lidar] que equipam os seus veículos autônomos e alegando que o caso provocou danos da ordem de $1.9 bi USD. Conversamos sobre isso à época aqui no blog.

Nesta segunda-feira (5/2), com o início do julgamento, os jurados ouviram as declarações de abertura dos advogados para aquele que pode ser o julgamento do ano, pelo menos no que concerne as disputas judiciais no estratégico mercado de veículos autônomos. Quem vencer, terá dado um grande passo à frente do concorrente capaz de lhe garantir a liderança nesse mercado.
Waymo wants you to believe that Anthony Levandowski got together with Uber as part of some grand conspiracy to cheat and take trade secrets, but like most conspiracy stories it just doesn’t make sense when you get the whole story. There is no connection whatsoever between any files he downloaded. There's not a single piece of Google proprietary information at Uber. Nothing, zero, period 
afirmou para o juri o advogado da Uber, Bill Carmody durante a sessão. O advogado da Waymo, Charles Verhoeven, por sua vez, disse ao juri que as pressões competitivas para desenvolvimento dos carros eram tão altas que Travis Kalanick [o então CEO da Uber] decidiu que
winning was more important than obeying the law. We're bringing this case because Uber is cheating. They took our technology... to win this race at all costs. 
A expectativa agora é que, após o período de duas semanas de testemunhos arrolados por ambas as partes, o juri decida se as informações se tratavam de fato de segredos industriais e não de conhecimento comum, e se a Uber os adquiriu de modo impróprio, usando-os e se beneficiando dos mesmos.