Pular para o conteúdo principal

#366 - Boeing confirma primeiro voo de sua cápsula espacial Starliner

A cápsula espacial para voos tripulados da Boeing, Starliner, fará em março o seu primeiro voo de testes para a Estação Espacial Internacional, confirmou a porta-voz da empresa. Trata-se de um prévia para o envio de astronautas em agosto.

Boeing e SpaceX, através de seus respectivos projetos, serão as duas primeiras empresas privadas a transportar pessoas entre a Estação Espacial Internacional (ISS) e a Terra.

A missão Orbital Flight Test será lançada em um foguete Atlas V da ULA a partir do Cabo Canaveral na Flórida. O voo estava previsto originalmente para 27 de agosto de 2018, porém foi cancelado devido a uma anomalia identificada durante os testes de abortagem no lançamento.

Após atracar na ISS utilizando o método robótico, a Starliner deverá retornar à Terra fazendo um pouso no Texas por meio de um sistema de paraquedas previamente testado em março/2018. Na época, a cápsula foi levada por um balão até uma altura de 12 quilômetros tendo atingido a velocidade de 480 km/h durante a queda, segundo a NASA.

Starliner à direita da Crew Dragon (SpaceX). Crédito: NASA

EP #197 (8/10):
A próxima etapa de testes com as cápsulas que irão transportar astronautas entre a Terra e a ISS foi postergada mais uma vez pela SpaceX e pela Boeing.
O teste não tripulado da Crew Dragon, conhecido como Demo-1, previsto para novembro, passa para janeiro/19.
O Demo-2, levando os astronautas da NASA R.Behnken e D. Hurley para a ISS, passa para junho/19. O não tripulado da CST-100 Starliner (Boeing) deve ocorrer não antes de março próximo.
EP #188 (25/9): A Boeing e a SpaceX acreditam que as suas respectivas cápsulas, CST-100 e Crew Dragon já atendem aos requisitos da NASA e estão prontas para iniciar os voos de testes.
A principal questão enfrentada pelas empresas era atender uma especificação chamada "perda de tripulação" - uma medida de probabilidade de morte ou incapacitação de um ou mais pessoas nas naves durante uma missão - na proporção de 1 em 270 missões (significativamente mais severo do que o índice utilizado no projeto dos ônibus espaciais).

A NASA tem um interesse especial na Crew Dragon e na Starliner, um vez que o fim do contrato com a agência espacial russa Roscosmos para realização de voos tripulados se encerra no final de 2019.



São Paulo, 3 de fevereiro de 2019

Assine o Feed        Apoie o Ex Post no Apoia.se