Pular para o conteúdo principal

#373 - NASA posterga voo da Crew Dragon e propõe novo plano de testes

Ainda há muitos passos críticos a serem concluídos antes do lançamento, disse Kathy Lueders, gerente do Programa de Tripulação Comercial da NASA. A Agência tem trabalhado em conjunto com a SpaceX e com a Boeing para obter as garantias necessárias antes de partir para a próxima etapa.

Starliner à direita da Crew Dragon (SpaceX). Crédito: NASA

Queremos estar prontos para conduzir os voos de testes e obter informações importantes que ajudarão ainda mais a transportar nossas tripulações com segurança, completou.

Pelo plano anterior, a Crew Dragon seria lançada pela SpaceX no próximo dia 23 de fevereiro. O atraso será de uma semana, portanto.

  • SpaceX Demo-1 (uncrewed): March 2, 2019
  • Boeing Orbital Flight Test (uncrewed): NET April 2019
  • Boeing Pad Abort Test: NET May 2019
  • SpaceX In-Flight Abort Test: June 2019
  • SpaceX Demo-2 (crewed): July 2019
  • Boeing Crew Flight Test (crewed): NET August 2019

Mike Wall (Space.com):
The next big box to check after these demonstration flights will be tests of the private vehicles' emergency escape systems, which would get the capsules away from danger if a problem arose during launch.
Boeing plans to run this test in May, and SpaceX will perform its version in June.

Alterações no cronograma de testes de ambas as cápsulas têm sido recorrentes, como podemos verificar nesse reporte de outubro de 2018.

EP #197 (8/10):
A próxima etapa de testes com as cápsulas que irão transportar astronautas entre a Terra e a ISS foi postergada mais uma vez pela SpaceX e pela Boeing.
O teste não tripulado da Crew Dragon, conhecido como Demo-1, previsto para novembro, passa para janeiro/19. O Demo-2, levando os astronautas da NASA R.Behnken e D. Hurley para a ISS, passa para junho/19. O não tripulado da CST-100 Starliner (Boeing) deve ocorrer não antes de março próximo.
EP #188 (25/9): A Boeing e a SpaceX acreditam que as suas respectivas cápsulas, CST-100 e Crew Dragon já atendem aos requisitos da NASA e estão prontas para iniciar os voos de testes.
A principal questão enfrentada pelas empresas era atender uma especificação chamada "perda de tripulação" - uma medida de probabilidade de morte ou incapacitação de um ou mais pessoas nas naves durante uma missão - na proporção de 1 em 270 missões (significativamente mais severo do que o índice utilizado no projeto dos ônibus espaciais).



São Paulo, 6 de fevereiro de 2019

Assine o Feed        Apoie o Ex Post no Apoia.se