Pular para o conteúdo principal

Boeing e Lockheed disputam orçamento de $11 bi USD da Força Aérea de Israel

O plano de compra de armamentos representa quase 1/4 dos recursos de ajuda dos EUA na próxima década. Inclui um esquadrão de 5-7 tankers de última geração para reabastecimento aéreo e helicópteros Yasur (Sea Stallion) utilizados pela Israeli Air Force (IAF) nos últimos 40 anos.

Crédito: Sikorsky

A decisão mais importante envolve a aquisição de caças F-35I Adir fabricados pela Lockheed e de novos caças F-15IA fabricados pela Boeing. A IAF pode mesmo adquirir um mix das duas aeronaves se não houver restrição no orçamento, diz o reporte publicado pela israelense Globes no último domingo (4/3).

A Lockheed está oferecendo um terceiro esquadrão de F-35, mais novos helicópteros de transporte e tankers A330 fabricados em acordo de cooperação estratégica com a européia Airbus. Israel fez três compras do F-35 na última década, totalizando 50 aeronaves, a um custo médio de $100-110 mi USD a unidade. Até 2024 terá dois esquadrões daqueles caças.

A Boeing, por sua vez, coloca na mesa um pacote não menos atrativo: um esquadrão de 25 novos F-15, helicópteros de transporte avançado e tankers KC-46.

KC-46A. Crédito: Boeing

Boeing e Lockheed têm grande interesse em obter o contrato das Forças de Defesa de Israel (IDF) e não apenas por causa do dinheiro. A IDF realiza operações de diversos tipos e isso a torna uma boa vitrine para a venda de armas.

A industria de defesa local, por sua vez, faz lobby para que a escolha da IDF recaia sobre a empresa que ofereça o maior compromisso de compras recíprocas, especialmente de pequenas e médias empresas israelenses.

A decisão deve sair até meados de 2019.



São Paulo, 06 de março de 2019

Assine o Feed        Apoie o Ex Post no Apoia.se

Ex Post #400