Skip to main content

Computadores irão desenvolver "senso comum" em uma década!

Para o  Prof. Geoff Hinton - contratado pelo Google há 2 anos atrás para desenvolver sistemas operacionais inteligentes [leia-se AI] -  nós poderemos contar com os computadores como nossos amigos, não muito tempo após eles terem desenvolvido um "senso comum" das coisas.

Aparentemente o Prof. se refere a um estágio anterior àquele em que os computadores irão ultrapassar a inteligência humana, o ponto no tempo conhecido como "singularidade tecnológica". Se por "senso comum" o Prof. entende o conhecimento vulgar e as proposições ditas "normais", que não dependem de uma investigação detalhada para se alcançar verdades mais profundas [como as científicas], acho que teremos no máximo bons companheiros cibernéticos para tomar chopp e jogar conversa fora!

Quanto aos pensamentos poderem ser capturados para dentro de sistemas de computadores [proposta por Ray Kurzweil, seu colega de empresa,] a ideia ainda permanece controversa, segundo Hinton.
Tem muita gente que advoga contra ela, dizendo que você não pode capturar o pensamento daquele modo, mas não há razão porque isso não possa ser feito. Penso que você pode capturar um pensamento através de vetores de pensamento*, diz o Professor.
A essa altura você já deve estar se perguntando... e a namorada virtual de Joaquim Phonix no filme Her? A julgar pelas previsões do pessoal do Google, se prepare para tomar muito chopp enquanto espera a singularidade de Kurzweil, lá por volta de 2045!

*"thought vectors" - segundo Hinton o Google está trabalhando para codificar pensamentos como vetores, descritos por uma sequência de números. Através desses vetores os sistemas de inteligência artificial serão capazes de alcançar o "senso comum" dos humanos no prazo de uma década.