Skip to main content

Virgin Galactic quer usar um 747 como base de lançamento de satélites

Esse é mais um passo na corrida para colocar satélites de baixo custo na órbita da Terra. Nomes conhecidos como Page, Musk, Zuckerberg e Bezos também estão nessa disputa com Sir Richard Branson, CEO da Virgin.

Cada um desses milionários empreendedores ou tem um parceiro na área de telecomunicações ou está investindo um no projeto do outro [caso Page/Musk] para fazerem essa coisa toda acontecer.

No caso da Virgin Galactic, a parceria é com a Qualcomm e com Greg Wyler (ex-Google) da OneWeb - já falamos sobre isso aqui no blog no início de 2015.

747, uma nova chance

"Eu nunca imaginei que hoje, um de nossos 747s teria uma segunda chance e ajudar a abrir caminho para o espaço. Estou muito feliz que a Cosmic Girl [como foi batizado o Boeing] vai permanecer na família Virgin", disse Branson em sua declaração à imprensa.

crédito: Virgin Galactic

A ideia é adaptar o LauncherOne - lançador de satélites que tem utilizado até agora o WhiteKnightTwo como plataforma - na asa esquerda da Cosmic Girl (foto) e dessa forma, viabilizar o posicionamento de satélites em órbita geoestacionária por um preço abaixo de $10MM USD. Vejam também o vídeo de divulgação publicado pela Virgin Galactic essa semana.

Os voos suborbitais

O WhiteKnightTwo é a nave mãe que transporta o SpaceShipTwo, veículo com o qual Branson quer operar o 1º serviço de vôos suborbitais turísticos do mundo. O projeto foi postergado depois que um desses veículos perdeu o controle durante um voo de testes, caindo no deserto e matando um dos dois tripulantes que estavam à bordo.



São Paulo, 15 de dezembro de 2015