Skip to main content

Programática: melhor deixar com quem entende

Chris Dobson do The Exchange Lab, compara o domínio da programática com o uso de aplicativos tipo Excel. Diz ele: "a maioria de nós usa talvez 10% da capacidade dessas tecnologias. Mas quando você vê um power user e o que ele pode extrair do produto"... o ponto é: "nossa tecnologia é apenas tão boa quanto o usuário".

Explico. O chamado "digital", no jargão das agências, é um espaço que evolui do dia para a noite e isso não é nenhuma novidade. Hoje você é considerado um expert em compras programáticas, por exemplo, e em questão de semanas pode ser surpreendido com novas técnicas, ferramentas e até estratégias que te obrigam a repensar o modo como está abordando seus projetos.

Por fim, a conclusão do especialista: "a maioria das marcas que tentou [otimisticamente] fazer o trabalho por conta própria falhou e a razão é simples: programática não faz parte do seu core business".

Nas palavras de Dobson:
As programmatic has grown, brands have begun to think optimistically they would do things for themselves... But most have failed. And for a simple reason: it's not their core business"