Skip to main content

Cidades Inteligentes: como a tecnologia irá reduzir as mortes no trânsito

Nos EUA as smart cities já encaram o problema. Mas e no Brasil? Bem, o problema aqui é mais grave, porém não o suficiente para ligar um alerta em nosso painel de prioridades.

Vejam o seguinte  depoimento do diretor técnico do Observatório Nacional de Segurança Viária. 

"Nas regiões Norte e Nordeste, o crescimento da frota de motocicletas aliado à deficiência cultural que envolve as pessoas que pilotam motocicletas são o principal problema dos acidentes fatais. Esses novos motociclistas viviam em condições de miséria, conseguem investir num primeiro veículo e se mostram não preparados para conduzir o veículo em via pública por não terem conhecimento de regras e leis. Sem noção do risco que correm, não têm percepção de trânsito. Isso se agrava em regiões de baixa escolaridade",
segundo, o dir. técnico Paulo Guimarães em uma matéria no UOL de 2015.

Veículos conectados
Na Flórida, um projeto de carros conectados envolve a adequação de 1.600 veículos privados que irão utilizar tecnologia capaz de  comunicar entre eles e com a infraestrutura, da qual irão receber alertas sobre as condições das vias, limites de velocidade, proximidade de outros veículos, dentre outras funcionalidades. A apresentação pública do projeto foi apresentada na cidade de Tampa esta semana com o piloto previsto para 2018. Vejam a matéria do TechCrunch aqui.