Pular para o conteúdo principal

Apple: compra da Tesla não seria mais uma ideia louca, afinal!

A repatriação de $250 bi USD por parte da Apple, associada com o fato de que Cupertino precisa ser salvo do desastre que se abateu sobre o projeto Titan, no entendimento de Matthew DeBord, seriam duas boas razões para uma suposta aquisição da empresa de Elon Musk. Para DeBord, em seu artigo dessa semana para a Business Insider:
Apple clearly wants to do something in the transportation space, but thus far its efforts have been at best confused and at worst pathetic."Buying Tesla would change that overnight. 
Além disso, a Tesla tem um potencial de valorização no mercado de 13x em relação à sua capitalização atual de $49.30bi USD e
If Tim Cook agrees with the Tesla board that the company will be worth $650 billion in a decade, then buying Tesla now would be a staggering bargain.
Para a empresa de Elon Musk, os recursos aportados pela Apple poderiam resolver os gargalos de produção que a Tesla enfrenta "For the Model 3 mass-market vehicle, currently stalled amid production bottlenecks, Tesla has 400,000 mostly unfulfilled pre-orders."

Motivação da Apple e outras questões
Considerando as características estratégicas da Apple, entrar na indústria automobilística significaria ter que repensar como os veículos são usados atualmente e alterar as vantagens competitivas estabelecidas nessa indústria. Os ciclos de produtos adotados por ela também diferem em relação aos que a Apple pratica. Enquanto as montadoras trabalham com ciclos medidos em anos, Cupertino trabalha com horizontes medidos em meses e até em semanas.

Por fim, mas não menos importante, vale lembrar a reduzida capacidade de produção da Tesla vis-à-vis a da GM, da Ford e da Fiat Chrysler, que venderam respectivamente 3.04, 2.5 e 2.2 milhões de unidades em 2016 - para ficar apenas com os números do mercado norte-americano!