Pular para o conteúdo principal

B2C: machine learning, big data e analytics. Alguém de fora?

Não há uma só empresa de tecnológica intensiva, top do mercado, que esteja à margem no uso recursos envolvendo aprendizado de máquina, big data e analytics, quer seja através de sistemas  desenvolvidos internamente, pacote de software adquiridos de terceiros ou serviços contratados, arrisco dizer. O seguinte caso é um relato da Algar Telecom, publicado pela Telesintese nesta segunda-feira (22/1). Acompanhem.

"Em 2017, começou-se a usar o machine learning na identificação do melhor momento para efetuar pagamentos com moeda estrangeira. A solução analisa indicadores financeiros para identificar tendências de queda ou de alta no valor da moeda e é utilizada pela área de gestão de riscos da companhia.

Já o Customer Experience Management (CEM), plataforma de big data e analytics utilizada para monitorar a experiência do cliente, reduziu cerca de 7 mil chamadas por mês recebidas na central de atendimento por reclamações sobre o uso da internet em dispositivos móveis. “Com o uso dos dados, temos condições de analisar a rede e nos antecipar a ocorrências que poderiam afetar a experiência dos usuários”, explicou Lima.

Além disso, o CEM foi conectado diretamente à central de relacionamento com o cliente. A plataforma analítica fornece dados de utilização em tempo real na tela do computador do operador, facilitando o atendimento."