Skip to main content

#014 - Brincando com a nossa frágil democracia

Boa segunda-feira amigos. Ricardo Amorim, pelo Twitter, relembra "Brincando com a Democracia", um de seus valorosos artigos publicados no LinkedIn, este de meados de 2017. Bem a propósito da semana que se inicia:


A democracia é preciosa, mas é frágil. A própria história brasileira deixa isso claro. De 1930 para cá, nós brasileiros vivemos um em cada três anos sob o jugo de ditaduras. Somando–se o período da ditadura de Getúlio Vargas com a ditadura militar foram mais de três décadas e meia sem democracia. Cada uma das ditaduras durou mais de uma década. Esta é a regra na experiência internacional.

A ideia utópica de golpes, militares ou não, que destituem lideranças democráticas corruptas e prometem convocar eleições rapidamente, infelizmente não se confirma na história. Uma vez no poder, eles encontram formas, desculpas e razões para se perpetuarem, tornando-se ditadores.

Aí é que mora o perigo. Dois pilares essenciais de qualquer regime democrático são as pessoas se sentirem representadas por seus líderes e que haja uma separação entre os poderes, para garantir que nenhum líder abuse de suas atribuições. Nenhum destes pilares está presente no Brasil de hoje.

Ricardo Amorim: "Brincando com a Democracia"

São Paulo, 22 de janeiro de 2018