Pular para o conteúdo principal

#033 - VW aposta no estilo Apple, Trump bate aprovação do antecessor; novidades no Shazam e Facebook Kids

Boa sexta-feira amigos. A Volkswagen quer adotar princípios utilizados pela Apple nas futuras decisões acerca de estilo em relação aos veículos elétricos. Para Klaus Bischoff, head de brand design...
...we are currently redefining the Volkswagen values for the age of electrification. What’s at stake is to be as significant, purist and clear as possible and also to visualize a completely new architecture.
A maior montadora da Europa quer deixar no passado o escândalo das emissões de poluentes, conhecido como dieselgate, que abalou a credibilidade da empresa em 2015. Nessa linha, a VW promete investimentos da ordem de $42 bi USD em tecnologia EV, direção autônoma e outros negócios de mobilidade digital em toda a corporação até 2022.

crédito: autocar.co.uk


Shazam - Alterações no app anunciadas nesta quinta-feira (15) trazem sincronização de letras de músicas em tempo real, mudanças na interface, melhor apresentação no resultado de buscas e um novo menu de acesso às ofertas de serviços. O produto adquirido em dezembro último pela Apple é usado por mais de 100 milhões de pessoas/mês para identificar e obter letras de músicas.

Facebook Kids - Agora na versão Android, o app de Zukerberg voltado para crianças até 12 anos vem recebendo diversas críticas de psicólogos e associações de pais nos EUA desde que foi lançado para iOS em dezembro último. A exposição de crianças às mídias sociais e o uso excessivo de tecnologias digitais são as principais preocupações, ainda que o aplicativo ofereça aos pais bons recursos de controle sobre com quem seus filhos conversam.

Aprovação de Trump - Aconteceu o que já era esperado por muitos que acompanhavam o desempenho da economia americana nos últimos meses. Dados do Rasmussen Reports apontaram que na primeira semana de fevereiro o Governo Trump atingiu 49% de aprovação, enquanto o Governo Obama, com o mesmo período de tempo transcorrido lá em 2010, registrava o índice de 46%. Os dados foram obtidos uma semana após Trump ter proferido o tradicional discurso State of Union, no qual o Presidente descreve as realizações do 1º ano no cargo e a sua visão para o futuro. O fato é que os americanos estão experimentando a menor taxa de desemprego desde o ano 2000, acompanhado do maior índice de confiança do consumidor dos últimos 17 anos.

Não acredito, no entanto, que as tais melhorias estejam tão atreladas ao calendário eleitoral americano como querem fazer crer os trumpistas mais eufóricos. Prefiro a tese de que ele está surfando uma onda que vinha se formando desde o governo anterior. Além do mais, o crescimento da economia americana sempre se reflete de forma positiva no Brasil. E convenhamos, estamos mesmo precisando disso por aqui, não?


São Paulo, 16 de fevereiro de 2018