Pular para o conteúdo principal

#037 - Voto impresso: por que o desejo do povo e a decisão do Congresso não são suficientes?

Boa quinta-feira amigos. O voto impresso deve funcionar como uma auditoria do processo de apuração. A questão exaustivamente discutida nos últimos anos virou letra da lei, determinado pelo artigo 59-A da lei 13.165/2015. 368 deputados e 56 senadores votaram a favor da impressão.

Porém, isso não foi suficiente para apaziguar os ânimos da nação, incluindo uma parte do Judiciário e, no caso do MP, da própria procuradora-geral da República Raquel Dodge, que entrou há poucos dias com uma ação no STF para suspender o voto impresso nas eleições de 2018. A Procuradora alega inconstitucionalidade e diz tratar-se...
...de um retrocesso para o processo eleitoral, amplia a possibilidade de fraudes, além de ser uma ameaça ao sigilo da manifestação do eleitor. A norma não explicita quis dados estarão contidos na versão impressa do voto, o que abre demasiadas perspectivas de risco quanto à identificação pessoal do eleitor, com prejuízo a inviolabilidade do voto secreto.

O Prof. Diego Aranha, doutor em ciência da computação e pesquisador de Segurança da Computação e Criptografia da Unicamp, um dos principais críticos da segurança do sistema, diz:
Ao usar sistema puramente eletrônico de votação, todas as propriedades de segurança do sistema dependem do software de votação: a contagem correta dos votos, a proteção do sigilo do voto, tudo isso. O voto impresso é a melhor maneira de produzir evidências de que a urna está se comportando de maneira correta durante a eleição, que é o que importa. Se houve alguma fraude, não imagino que teria sido divulgada, com transparência, uma nota de esclarecimento. Há um enorme conflito de interesse em o TSE admitir algo assim, colocando em xeque o sistema de 20 anos aplicado às urnas eletrônicas. 

Smart speakers

89% dos consumidores de smart speakers dizem estar satisfeitos (59%) ou muito satisfeitos (30%) com seus produtos, segundo pesquisa feita com 520 pessoas no mercado americano pela Loup Ventures.  Os mais vendidos são o Amazon Echo (55%), seguido do Google Home (23%), Microsoft Cortana (15%),  HomePod (3%) e "Outros" representando 4%. Quanto aos recursos mais utilizados temos:




Aeronáutica e Espaço

A NASA realizou nesta quarta-feira (21/2) testes no mais alto nível de potencia (113%) do Aerojet Rocketdyne RS-25 - o motor que será utilizado pelo Space Launch System (SLS). Os RS-25 são motores reciclados, originalmente utilizados no programa Shuttle. A NASA planeja utiliza-los nos quatro primeiros foguetes SLS. 

A sua versão menor conhecida por SLS Block 1 geram 8,8 MM de libras de empuxo e o SLS Block 2 9,2MM de libras. Comparativamente, os motores do Falcon Heavy da SpaceX produzem 5 MM de libras e os velhos Saturno V 7,5 MM.  Os SLS foram projetadas para as futuras missões em direção à Lua, Marte e outros destinações no deep-space. (NASA)

Nesta quinta-feira (22/2) veremos o lançamento dos micro-satélites de teste que serão parte do Starlink - o projeto de Elon Musk que pretende colocar 800 desses aparelhos em funcionamento até 2020 cobrindo o território norte-americano com um serviço de Internet. A missão será transmitida ao vivo à partir das 11:17h pelo canal da SpaceX no Youtube.


São Paulo, 22 de janeiro de 2018