Skip to main content

Eis por que a 5G é muito mais do que uma Internet rápida

A  MWC 2018 foi palco de muita discussão e demonstrações do poder das redes de quinta geração, a 5G. A medida que a quantidade de equipamentos mobile aumenta, você precisa de redes inteligentes capazes de processar e priorizar tarefas a partir da borda para o core da rede. Você precisa de analytics em tempo real, inteligência artificial, network slicing e a capacidade de carregar milhões de mensagens a partir de bilhões de equipamentos conectados, e fazer isso, de modo confiável, sem perda de dados, conectividade e integridade da rede.

Os Jogos Olímpicos de PyeongChang, algumas semanas antes do evento de Barcelona, serviram de laboratório para testes e demonstração do que as redes 5G poderão prover a partir de 2019-2020. Uma gama de tecnologias de ponta apareceram durante os Jogos. As redes móveis 5G representam um enorme desenvolvimento que irá mudar a forma como os jogos são gravados, vistos e curtidos. Enquanto na superfície a 5G pode parecer apenas uma Internet mais rápida, a tecnologia tem permitido outros desenvolvimentos que oferecem aos espectadores verem os jogos de um modo que não era possível anteriormente. Um desse modos é o sync view, onde as pessoas podem acompanhar os jogos em tempo real da perspectiva dos atletas, imaginando que eles são o próprio atleta quebrando recordes ou saltando de uma enorme rampa de ski.



Antigamente as pessoas podiam curtir tais vídeos após os atletas terem terminado suas exibições e eles serem removidos da câmera. Numa rede 5G, vídeos de alta qualidade são transmitidos diretamente para uma central e colocados ao vivo na TV. O chamado "Interactive Time Slice" permite aos espectadores escolher a visão e o ângulo que eles querem ver o jogo. 100 câmeras fora instaladas em volta do estádio, todas filmando ao mesmo tempo de tal modo que as pessoas podiam girar a sua visão e ver o jogo a partir da direção que elas quisessem.