Skip to main content

#091 - Taxi-aéreo da Uber pode ser desenvolvido pela Embraer

Boa quarta-feira galera. A Embraer se tornou nesta terça-feira (8) a primeira empresa a apresentar à Uber um modelo conceitual para o projeto de um taxi-aéreo elétrico a ser implementado em pelo menos duas cidades dos EUA até 2020. O desafio foi oferecido a várias outras empresas do setor que, partindo de especificações predefinidas, também irão apresentar as suas propostas.


crédito: Embraer

- A Waymo anunciou nesta terça-feira (8) os planos para iniciar em novembro próximo os tão esperados serviços de ride-hailing em veículos autônomos sem a presença de um motorista de segurança à frente do volante. A informação foi dada por John Krafcik, CEO da Waymo, durante o Google I/O 2018 realizado esta semana na Califórnia. O CTO e VP de engenharia da empresa fez um relato de como os veículos autônomos passaram da ficção científica para a realidade com a ajuda da inteligência artificial:

Dmitri Dolgov (Waymo):
Today, Waymo is the only company in the world with a fleet of truly autonomous cars on public roads. Members of the public in Phoenix, Arizona have already started to experience these fully self-driving rides.
AI plays a crucial role in nearly every part of our self-driving system. While perception is the most mature area for deep learning, we also use deep nets for everything from prediction to planning to mapping and simulation. With machine learning, we can navigate nuanced and difficult situations; maneuvering construction zones, yielding to emergency vehicles, and giving room to cars that are parallel parking.
We can do this because we’ve trained our ML models using lots of different examples. To date, we’ve driven 6 million miles on public roads and observed hundreds of millions of interactions between vehicles, pedestrians and cyclists.



Economia e Política

- Joaquim Barbosa afinal não passou da primeira curva na corrida presidencial. Sua decisão de não concorrer ao cargo máximo da República foi comunicada em seu Twitter nesta terça-feira (8). Barbosa alegou razões estritamente pessoais, embora a falta de unidade dentro do PSB em torno do seu nome tenha sido um motivo importante para a desistência, segundo avaliação de alguns jornalistas e analistas politicos.




- O recém-celebrado acordo entre Nestlé e Starbucks remete a um velho problema do Brasil exportador de produtos agrícolas. Fazemos o trabalho pesado [e muitas vezes mais complexo] de produção e mandamos a commodity para o exterior. Lá fora, eles adicionam glamour ao produto e o vendem a peso de ouro! Não raro ainda consumimos o produto beneficiado atrelado a um serviço aqui mesmo [caso da Starbucks] pagando múltiplos do valor original e depois, vemos parte do lucro sendo remetido na forma de royalties para as respectivas matrizes daquelas empresas. Até quando?  🤨



- Questão de privatização para os pré-candidatos: quantas das quase 150 estatais federais realmente cumprem as destinações "segurança nacional" e "relevante interesse coletivo" conforme previsto na Constituição? Uma discussão e tanto para ser levada ao STF em tempos de exacerbado protagonismo do Judiciário. Quem encara essa?


- E por falar em privatização, Marina Silva declara não ser contra as privatizações, mas no caso da Eletrobras...
Vender um ativo desse para tapar buraco de erros que foram cometidos de endividamento público, sem que isso signifique resultado positivo prático para a sociedade, é um equívoco.
O momento pede um presidenciável imbuído da intenção ou mesmo decidido a privatizar; o que der para fazer e no menor espaço de tempo possível.


Empresas da Economia Digital

- Em resposta ao Amazon Echo Show Google lança a plataforma Smart Display. A plataforma para "smart displays" criada pelo Google foi apresentada durante a CES 2018. Parceiros como Lenovo, JBL, Sony, LG e outros assinaram um acordo para produzir speakers com display utilizando a tecnologia. A expectativa é que a partir de julho diversos produtos cheguem ao mercado.


- Na área da inteligência artificial, o Google apresentou nesta terça-feira (8) Duplex, um sistema de interação por voz que realiza contatos por telefone em nome do usuário. Mas não só, o produto, denominado Duplex é potencialmente capaz de ser usado em serviços de reservas para aplicações diversas como restaurantes, companhias aéreas ou genericamente num serviço típico de call center desses que utilizamos no nosso dia a dia. 

O apelo do Duplex é que ele usa recursos de deep learning fáceis de (treinar) implementar. Além disso, tem uma capacidade impressionante de conversação que o torna indiferenciável de um operador humano. 

O sistema foi demonstrado em uma simulação durante o Google I/O, na qual os participantes no outro lado da linha não sabiam que estavam interagindo com um bot. Duplex! Guardem esse nome, ainda vamos ouvir falar muito dele.






São Paulo, 9 de maio de 2018