Skip to main content

#108 - Tesla luta para crescer mas seus esforços podem ser em vão!

Boa terça-feira galera. Quando comparada às grandes montadoras mundiais a Tesla é apenas uma pequena empresa do ramo automobilístico com capacidade de fazer muito barulho no mercado. Elon Musk, com a sua habilidade de mobilizar a mídia é em parte a responsável por toda essa exposição. Pouco se ouve falar da Toyota, por exemplo, empresa que vendeu no 1o trimestre deste ano 2.500.000 de veículos, algo como 80 vezes mais que a Tesla, e que tem lá as suas iniciativas no promissor mercado de carros elétricos.

Elon Musk, é claro, tem planos para diminuir esse gap em relação à GM, Ford, Chrysler dentre outras, mas é incerto se será capaz de remover um rol de obstáculos técnicos e financeiros que o impedem de seguir em frente no passo que os seus stakeholders gostariam. Para Jean-Louis Gassée:
Tesla may be the darling of the media and Musk may be a master showman, but facts are facts: The company has never made money. In order to survive, the company continues to rely on the generosity of shareholders and taxpayers.
In 2015, cumulative state and federal subsidies were estimated at $4.9B — that’s $30K per vehicle. Taxpayers have little choice, but shareholders? At this week’s close, TSLA was worth $49.6B vs $46.7 for Ford and $60.9B for GM. How long will shareholders support a company that doesn’t make money? 
The killer is production volume: Musk offers various reasons for the Model 3’s slow production start, ranging from excessive reliance on automation to problems with battery production at the much touted Gigafactory. But these are just excuses.
The real problem is Musk’s delusional belief that Tesla can jump from making 20K cars per quarter to a million or more a year as the Model 3 demands.
A tenfold increase in production volume calls for a completely different production system, as codified by Toyota and described in The Machine That Changed The World.
Attempting to invent a new system on the fly (two, actually, if we include the Gigafactory) will doom Tesla.

crédito: Monday Note


Empresas da economia digital

2   Apps da Apple serão 40% mais rápidos durante a carga em equipamentos antigos com o lançamento do iOS 12. A informação é do VP de Engenharia de Software da Maçã, Craig Frederighi, na WWCD 2018. O teclado será 50% + rápido e a abertura da câmera 70% em relação ao iOS 11. A WWCD deste ano deixou os fans da Apple desapontados pela ausência de um novo hardware, mas também não foi nenhuma surpresa. O evento desta segunda-feira (4/6) teve o seu foco em software nas soluções existentes e nas oportunidades que a nova versão oferece para os desenvolvedores ao longo do próximo ano. 

Economia e Política - Crise dos Combustíveis

3   Para a líder do MDB no Senado, Simone Tebet (MS), o atual patamar dos combustíveis e do gás de cozinha é irracional, absurdo e precisa ser reduzido. A Petrobras é uma empresa estatal e, por isso, precisa dar uma parcela de contribuição (!) para que a população não seja penalizada, diz Tebet. Mas não é só contra a Petrobras que o Congresso virou suas baterias. Os governos estaduais também serão instados a dar o seu quinhão na crise dos combustíveis - lembrando que 28% do preço da gasolina para o consumidor se deve ao ICMS cobrado.

4   Vence nessa segunda-feira (4/6) o decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) que autorizou as FFAA a atuar na desobstrução das vias públicas durante a paralisação dos caminhoneiros. O ministro Sergio Etchegoyen afirmou que o governo não vai prorrogar o decreto.

5   São 300 mil caminhões em excesso no Brasil, diz a consultoria NTC & Logística. A origem está nos incentivos do BNDES entre os anos de 2009 e 2016. Depois veio a crise para agravar. É o governo criando bolhas. 🙄

6   Sindicatos perdem 88% da sua arrecadação após reforma trabalhista de 2017. Em abril o total arrecadado pelas associações de trabalhadores foi de R$ 102,5 milhões. Vamos ver quanto tempo isso dura!

7   A menos de 4 meses das eleições ainda se discute temas como a legalidade da adoção de voto impresso. O tempo joga a favor de quem quer manter a situação como está. Perde a população desconfiada do processo eleitoral que não pode ser auditado. 😬

Economia e Política - Global

8   Primeiro-ministro da Jordânia renuncia após protestos contra alta de preços. O fim do subsidio do pão é um dos motivos. Por aqui teríamos trocas mensais de primeiros-ministros, considerando problemas dessa natureza. Por falar nisso, o STF deve retomar em breve a discussão sobre a implantação do parlamentarismo no Brasil. A ver.



São Paulo, 5 de junho de 2018