Pular para o conteúdo principal

#114 - Microsoft: novo Hololens é aguardado para 2019

Boa quarta-feira galera. Já se vão três anos desde que a Microsoft apresentou  Hololens, o seu headseat de realidade mista durante a conferência de desenvolvedores [Build] sob os olhos cheios de expectativa da plateia. Desde então a tecnologia vem sendo aprimorada, enquanto alguns poucos desenvolvedores criam soluções limitadas para o mundo empresarial numa espécie de implementação beta. Sem concorrentes, a empresa dirigida por Satya Nadella optou, aparentemente, por dar um salto tecnológico ao invés de entregar versões incrementais nos anos seguintes. Um documento vazado esses dias, revela que agora estamos a pouco menos de um ano do lançamento da segunda iteração do produto. 

Next up, in 2019, is a new version of HoloLens, codenamed Sydney. The documents say it is due to hit the market in some capacity (for developers or perhaps full commercial availability) in the first quarter of 2019. It will be much cheaper than the current HoloLens (though how much cheaper isn't known at this time), as well as lighter, more comfortable, and with a much better display. It will probably use a new sensor package derived from the Project Kinect for Azure announced at the Build developer conference last month and will also probably incorporate Microsoft's second-generation holographic processing unit custom processor.


Economia e Política

2   A implementação da pauta desarmamentista com a Coréia do Norte é "trabalho para uma década e meia", segundo David Kay, especialista em armamentos e Chief Weapons Inspector após a primeira guerra no Golfo. Desarmar a Coréia do Norte será o maior desafio, do tipo jamais enfrentado pela comunidade internacional. Nenhum país do porte da Líbia, da Síria, do Iraque ou do Irã, sequer chegou perto da capacidade tecnológica ou do tamanho do arsenal que Kim Jong-un possui, disse Kay para o New York Times.

3   A desnuclearização da Coréia do Norte envolve seis passos distintos: 1) Desmonte das armas existentes; 2) Terminação do enriquecimento de urânio; 3) Fechamento dos reatores nucleares; 4) Desativação das áreas de testes com bombas; 5) Parar a produção de combustível para bombas de hidrogênio; 6) permitir inspeções internacionais na hora e no local determinados pelos órgãos responsáveis.

Rumores dão conta de outra versão dos fatos, segundo a qual a pauta do desarmamento teria sido previamente fechada entre os EUA e a China, considerando que as ações de Jong-un são controladas pelo regime do presidente chines Xi Jinping que usa a Coreia do Norte para ameaçar o Ocidente. Ainda assim, o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un  realizado nesta terça-feira (12/6) no Cappella Hotel em Singapura pode entrar para a história como início da distensão na região e o fim das ameaças recorrentes do ditador coreano.    

4   Índice de otimismo do pequeno negócio nos EUA é o 2o mais alto dos último 45 anos e um pouco mais baixo do que o recorde de 108 pontos em julho 1983. O índice reflete o aumento recorde na remuneração, tendências positivas de lucros e planos de expansão. 

Eleições 2018

5   Se esse movimento de FHC não é o plano B do PSDB o que poderá ser? No momento em que o "centro" da política está mais para um
buraco negro do que qualquer outra coisa, até Marina Silva é vista como opção. Que fase!!




São Paulo, 13 de junho de 2018