Skip to main content

#153 - Punição de Alex Jones vai além da suspensão com banimento do Facebook, Apple, YouTube...

Boa terça-feira galera. Passado pouco mais de uma semana da suspensão das contas do conspiracionista Alex Jones, o Facebook decidiu remover nesta segunda-feira (6/8) as páginas InfoWars, Alex Jones, Alex Jones Channel e InfoWars Nightly. Segundo o post publicado na Newsroom, a nova punição se deve a repetidas postagens de conteúdos nos últimos dias que violam os padrões da comunidade (Community Standards) da empresa.

Newsroom (Facebook):
Since then, more content from the same Pages has been reported to us," the blog post states. "Upon review, we have taken it down for glorifying violence, which violates our graphic violence policy, and using dehumanizing language to describe people who are transgender, Muslims and immigrants, which violates our hate speech policies. 

Valentina Palladino (Ars Technica):
Facebook has come under fire in the past few weeks for allowing content creators like Jones to publish fake news, falsities, and hateful content freely on its platform. The company may have a definition for hate speech and types of hateful content, but its decision to allow conspiracy-theory content to live on its platform frustrates many users. The company reminded users in its most recent blog post that "wrong and untrue" statements are allowed on Facebook, while content that "attacks or dehumanizes others" is not. 

EP #147 (30/7):
Não há muito espaço de manobra para o Facebook nem para outras mídias sociais do gênero. Elas sempre terão que optar entre a tolerância com certas transgressões em prol da liberdade de expressão dos seus usuários ou bloquear conteúdo e suspender perfis, sob o risco de serem responsabilizadas junto com os editores por permitir o compartilhamento de conteúdo nocivo e enganoso em suas propriedades.

Review Tech USA explica as ações das demais empresas:





Economia e política 

2   A GM já pensa em ter a sua própria frota de caminhões. A empresa vê comprometimento na sua operação se não puder contar com a livre concorrência na logística.

Marli Olmos (Valor), citando o presidente da GM Mercosul:
Nosso negócio é produzir carros, mas a tabela do frete tem prejudicado a competitividade. Por isso, vamos avaliar, na ponta do lápis, se não vale mais a pena cuidar do nosso próprio transporte.
Difícil acreditar que a GM ou qualquer outra grande montadora adote uma estratégia nessa linha. Além disso, a poucos meses de uma mudança de governo e da reconfiguração de forças no Congresso, a tônica é aguardar 2019 chegar. 


Aeronáutica e espaço

3   É absolutamente igual a pilotar um iPhone, disse Bob Behnken, um dos  astronautas selecionados para conduzir os voos da nave Crew Dragon (SpaceX) no trajeto entre a Terra e a estação ISS. Behnken, que pilotou o último voo de um ônibus espacial em 2011, explica a enorme diferença entre a aviônica e a tecnologia de 40 atrás e a de hoje utilizada no programa da SpaceX. 

Meghan Bartels (Space):
Both of the new capsules come equipped with touch screens, and the astronauts' spacesuits include gloves that allow the spaceflyers to manipulate those screens smoothly. "It is also nice to not have all of the complications of switches and buttons, like we did in shuttle," Suni Williams, whose first mission was aboard the shuttle, wrote in a Reddit AMA. "The new flat screens will make it easier to interact [with] and control the spacecraft."

Piloto em treinamento na nave Starliner, o equivalente da Boeing para a Crew Dragon da SpaceX. Crédito: Boeing


São Paulo, 7 de agosto de 2018