Skip to main content

#176 - Gateway / Orion: NASA divulga cronograma das missões

Boa sexta-feira galera. Os tripulantes do terceiro voo (EM-3) da espaçonave Orion irão levar consigo mais dois módulos da nova estação espacial que será posicionada na órbita da Lua, segundo anúncio da NASA. A Gateway, como é chamada, foi projetada para acomodar astronautas por um curto período de tempo servindo como ponto de apoio para missões tripuladas e robóticas na superfície da Lua. Futuramente, Marte.

Jason Davis (Planetary):
The first piece of the Gateway is a power and propulsion module, scheduled to launch on a commercial rocket in 2022. The first crewed Orion mission, a lap around the Moon that will not stop in orbit, is scheduled a year later, in 2023. Then, in 2024, another Orion crew will fly to lunar orbit and visit the power and propulsion module, with two more pieces of the Gateway in tow.

Estação espacial Gateway - Crédito: NASA

EP #170 (17/8):
A Orion, em conjunto com o foguete Space Launch System (SLS), irá levar astronautas à Lua e futuramente realizar a primeira missão tripulada à Marte. Na primeira etapa estão previstas duas missões.
Matt Williams (Universe Today):
Exploration Mission-1 (EM-1), which is scheduled to take place in 2020, will consist of an uncrewed Orion capsule being sent into orbit around the Moon and then returning to Earth. Using lunar gravity to gain speed and propel itself 70,000 km beyond the Moon – and almost half a million km from Earth – this mission will send a spacecraft farther into the Solar System than ever before.  
Exploration Mission-2 (EM-2), which is scheduled to launch in 2023 aboard the newly-built SLS, will carry astronauts beyond the Moon before returning to Earth. This will be the first time that NASA has launched a crewed mission beyond Low-Earth Orbit (LEO) and will constitute a major stepping stone towards sending astronauts back to the Moon (for the first time since 1972) and deeper into the Solar System.

crédito: NASA

EP #079 (23/4):
O Congresso dos EUA aprovou os recursos de 2018 e 2019 para a NASA realizar a visão do Presidente Trump de manter a liderança do país na área espacial dando continuidade aos projetos Orion, Space Launch System e iniciativas junto ao setor privado. 
A mais interessante das metas estratégicas citadas é a que se refere ao Lunar Orbital Platform-Gateway (LOPG) - uma plataforma na órbita da Lua para estudo do satélite da Terra e do deep space. Eventualmente, a LOPG será utilizada como base intermediária para as viagens à Marte. 
Os primeiros astronautas chegarão em 2025 a bordo de uma cápsula Orion atrelada a um módulo de serviço - European Service Module (ESM) - construído pela Agência Espacial Européia (ESA) / Airbus. Ambos serão levados ao espaço por um foguete Space Launch System (SLS).

crédito: NASA


Economia e política

2   A diretoria executiva da Petrobrás aprovou um mecanismo de proteção (hedge) complementar à política de preços da gasolina. Ainda na manhã desta quinta-feira (6/9) a empresa dará mais detalhes em uma coletiva de imprensa, segundo o Estadão.

É claro que a Petrobras melhorou após o fim da desastrada gestão petista. Agora parece estar no caminho certo, ainda que, no caso do referido mecanismo de hedge a Petrobras tenha precisado de uma mãozinha dos caminhoneiros para se mexer. Falta, no entanto, o principal: abrir o mercado para a concorrência.

Eleições 2018

3  O candidato Jair Bolsonaro deu entrada na Santa Casa de Juiz de Fora (MG) por volta das 15:40 hs após ser atacado com uma faca por Adélio Bispo de Oliveira, 40, durante um evento em que era carregado por admiradores por uma das ruas centrais da cidade. Bolsonaro perdeu muito sangue e estava em choque quando chegou ao hospital. A facada cortou uma grande veia e parte do intestino grosso. Após cirurgia bem sucedida, Bolsonaro foi levado à UTI onde se encontra em situação estável. As vésperas das eleições, o atentado político desta quinta-feira (6/9) é uma afronta grave à nossa cambaleante democracia.


4  Críticas ao Plano de Governo Bolsonaro. O potencial de arrecadação com a venda de ativos vem sendo atacado já há algum tempo por economistas como Alexandre Schwartsman e Zeina Latif. Junte-se a isso a desconfiança de que Paulo Guedes não estaria disposto a seguir com Bolsonaro caso ele seja eleito.   




São Paulo, 7 de setembro de 2018