Skip to main content

#182 - Novo vídeo mostra construção do Extreme Large Telescope no Chile

Boa segunda-feira galera. O pessoal do ESO (European Southern Observatory) publicou o vídeo "Building the Biggest Optical Telescope in The World" para ilustrar o andamento das obras de construção do observatório na região de Cerro Amazones (3.000m de altitude), em meio ao deserto do Atacama, Chile.


Quando estiver pronto em 2024, o ELT (Extremely Large Telescope) será o maior telescópio óptico do mundo, cerca de 5 vezes maior do que o maior instrumento de observação em uso atualmente. O espelho principal do ELT irá medir 39 metros de diâmetro. Em 2012, o custo estimado do projeto era de $1,12 bi USD, algo como 1 bilhão de Euros na época.

Jorge Vega (Reuters):
Among other capabilities, it will add to and refine astronomers’ burgeoning discoveries of planets orbiting other stars, with the ability to find more smaller planets, image larger ones, and possibly characterize their atmospheres, a key step in understanding if life is present. “What is being raised here is more than a telescope. Here we see one of the greatest examples of the possibilities of science,” said Chilean President Michelle Bachelet in a speech to mark the beginning of construction at the site.

Matt Williams (Universe Today):
The ELT will also examine distant galaxies and galaxy clusters in order to investigate the nature of dark matter and dark energy. It observe super-massive black holes to determine what role they play in galactic formation and evolution. With its powerful imaging capabilities, it will also study the first stars and galaxies in the Universe in an attempt to answer some of the most burning questions about the origins and evolution of the Universe.
2  SpaceX anuncia ter acertado o primeiro voo de passageiros para uma viagem em volta da Lua. O feito, ainda sem data marcada, será realizado pela SpaceX com o uso do Big Falcon Rocket (BFR) - o maior dos veículos espaciais da empresa, atualmente em fase de projeto. O BFR deve estar operacional no início de 2020.


Até hoje, apenas 24 humanos estiveram na Lua e desde a missão Apollo 17 em 1972 ninguém mais se aventurou nas cercanias do nosso satélite natural. Agora, a SpaceX está prestes a mudar essa situação. Mais detalhes serão revelados em um webcast que irá ao ar nesta segunda-feira (17/9) às 22:00h (horário de Brasília). Já há quem aposte no próprio Elon Musk como o misterioso passageiro da missão. Duvido muito.

3  A NASA confirmou o lançamento do ICESat-2 na manhã do último sábado (15/9) a partir do Space Launch Complex-2 da Base da Força Aérea em Vandenberg, Califórnia. A estação terrestre de Svalbard, Noruega, recebeu sinais da nave 75 minutos após o lançamento. O satélite ICESat-2 está orbitando o planeta de um polo ao outro numa altitude de 290 milhas a uma velocidade de 17 mil milhas/hora.
O desafio da mais recente tecnologia é medir com maior precisão a espessura variável das formações de gelo no planeta. O ICESat-2 [Ice, Cloud and Land Elevation Satellite-2] será capaz de captar variações da ordem de meio centímetro ao longo das estações do ano.
Tom Wagner (NASA): The areas that we're talking about are vast — think the size of the continental U.S. or larger — and the changes that are occurring over them can be very small. They benefit from an instrument that can make repeat measurements in a very precise way over a large area, and that's why satellites are an ideal way to study them. 
Meghan Bartels (Space): Here's how the new mission works: ICESat-2 will orbit about 300 miles (500 kilometers) above Earth's surface carrying an instrument called the Advanced Topographic Laser Altimeter System (ATLAS). The instrument will constantly emit a laser beam of green light, which will be split into six separate beams as it leaves the satellite. The beams will then bounce off the surface of the ice in a grid pattern. Most of the photons in the laser beams will be lost, but a handful will make their way back to the satellite.


Os dados gerados pelo ICESat-2 serão publicados no site da National Snow & Ice Data Center (NSIDC):
Advancing knowledge of Earth's frozen regions - NSIDC manages and distributes scientific data, creates tools for data access, supports data users, performs scientific research, and educates the public about the cryosphere.

Empresas da economia digital

4  Com o lançamento da sua mais nova geração de relógios eletrônicos, a Apple quer fazer do seu Apple Watch Series 4 (a partir de $399 USD) algo que você não possa mais viver sem ele. Dentre os avanços já antecipados nos últimos meses, quatro deles são de especial relevância. Todos ligadas à área de saúde, sendo três deles para avaliação das condições cardíacas do usuário:
  • O ECG (eletrocardiógrafo) é capaz de realizar a leitura dos batimentos em breves 30 segundos por meio de um eletrodo de titânio. 
  • Identificar se o ritmo cardíaco está irregular detectando uma possível fibrilação atrial. 
  • Registrar os dados do ECG com outras informações de saúde permitindo uma visão abrangente do médico em futuras consultas. 
  • Detectar quedas. O Series 4 identifica quedas súbitas e rápidas do usuário e inicia imediatamente uma sequência de emergência. O gadget aguarda então por 1 minuto, e se a sequência for iniciada sem intervenção do usuário o Watch entra em contato com os serviços de emergência.

Para o presidente da Associação Americana do Coração, Ivor Benjamim: "Capturar dados significativos sobre o coração de alguém em tempo real está mudando a forma como estamos praticando a medicina." O Series 4 é o primeiro monitor eletrônico de ECG a obter aprovação do FDA para uso nos EUA.



EP #057 (2/3):
O Apple Watch pode detectar sérios problemas no coração como a fibrilação atrial - batidas irregulares e frequentemente rápidas na parte superior das duas câmaras do coração - que pode levar a acidentes vasculares cerebrais (AVCs). Um novo estudo médico oferece provas de que os wearables podem se tornar mais do que assistentes para fitness podendo até salvar vidas.
Ed Hardy (Cult of Mac): The study engaged 9,750 volunteers. Of those, 347 participants said they had already been diagnosed with this medical condition, which affects 34 million people worldwide. Researchers gathered 139 million heart-rate measurements taken by smartwatch photoplethysmography, the method used by the Apple Watch to monitor wearers’ heart rates. A deep neural network, which underwent heuristic pretraining, analyzed the heart-rate data.
 A similar study using the Cardiogram app on Apple Watch returned similar results last year. And the Apple Heart Study, a collaboration between Apple and Stanford Medicine, is also looking into “how technology like Apple Watch’s heart rate sensor can help usher in a new era of proactive health care.
5  E ainda em relação à central de processamento (aka A12 Bionic) utilizada nos dois iPhone XS (e no iPhone XR) apresentados pela Apple na última quarta-feira (12/9):

Om Malik (om.co):
This is the first serious edge computing device with more oomph than many laptops. The neural engine can now do a lot of those things Google does in the cloud — on a device. When it comes to automatic video editing and stuff such as the identification of faces, we are going to see the power of this chip. The gaming demos and the ARKit 2 demos, should be enough of a clue as to what this new chip can enable. And when you get really amazing selfies/photos from the phone without saying “Deeper Pixels” or “Computational Photography” you will probably know that there is something special about the iPhoneXs. And that’s Bionic!

6  Encomendas (pre-orders) do Apple Watch estão acima das expectativas, segundo avaliação do analista Ming-Chi Kuo publicada neste domingo (16/9). Para Kuo as novas funções do gadget como o suporte à eletrocardiograma são os responsáveis pela elevada procura neste primeiro final de semana após o lançamento. Sua previsão é de que a Apple venda 18 milhões de smartwatches em 2018 e de que os Series 4 irão representar 50-55% das encomendas. Por outro lado, a procura pelo iPhone XS está abaixo da expectativa já que os consumidores optam pelo iPhone XS Max ou esperam pelo iPhone XR.

No caso do XS Max o analista diz que a demanda está em linha com as expectativas, significando o sucesso da estratégia de preços elevados.

Ming-Chi Kuo:
There is strong Chinese demand thanks to the gold casing, dual-SIM, and large display. The MS Max average shipping time is shorter than the 2H17 iPhone X (1-2 weeks vs 2-3 weeks), which we think is due to supply improvements. We maintain our forecasts that the MS Max will acoount for 25-30% of 2H18 new iPhone model shipments. 



São Paulo, 17 de setembro de 2018