Skip to main content

#188 - Veículos autônomos: inúmeros obstáculos a superar

Boa terça-feira galera. Placas de trânsito propositalmente alteradas confundiram os sensores de veículos autônomos durante testes realizados por especialistas, mas não só. Flocos de neve e pingos de chuva costumam criar a ilusão da existência de obstáculos em torno do veículo. Pássaros também são capazes de desorientar os computadores. Em testes feitos com um Tesla S, pesquisadores da Universidade da Carolina do Sul cobriram um obstáculo com espuma de amortecimento de som, fazendo com que os sensores ultrassônicos do veículo não o detectassem. Sombras de árvores na pista, pontes e diversas outras situações não tão difíceis de lidar para um motorista experimentado, ainda são desafios mesmo para os veículos autônomos com sensores mais  sofisticados. 


crédito: Quartz


Michael J. Coren (Quartz):
Uber and Alphabet’s Waymo are ferrying passengers in self-driving vehicles (with safety drivers) in cities from Pittsburgh, Pennsylvania, to Phoenix, Arizona. Yet the first fully self-driving cars may come first to retirement homes, corporate campuses and private communities: controlled environments where computers can easily map their world.
'I challenge any car company to drive through a complex urban environment without a diver under any weather conditions,' says of Ryan Chin, co-founder and CEO of Optimus Ride, which reportedly has a dozen or so campuses and communities ready to pilot its self-driving technology. 'We’re not there yet as an industry. Even the best systems aren’t there yet.'

2  Enquanto isso, mais de um milhão de veículos elétricos foram vendidos no mundo só em 2017. Até 2020 esse número pode ser 5 vezes maior. O maior produtor [e consumidor] será a China cujo mercado cresceu 2% no ano passado.  As pessoas querem veículos elétricos por várias razões incluindo aquelas ligadas ao meio ambiente, como um meio de reduzir a poluição nas cidades e o impacto das mudanças climáticas globais.

crédito: McKinsey / Weforum

Empresas da economia digital

3  A disputa pela marca iPhone no Brasil teve um fim na última semana após o STJ decidir que o termo "iPhone" isoladamente não está protegido. A marca "G Gradiente iphone" foi registrada pela Gradiente sete anos antes da Apple criar o iPhone.

Aeronáutica e espaço

4  A Rússia anunciou que pode abandonar a construção da Lunar Orbital Platform (LOP-G) em conjunto com os EUA, alegando que não quer fazer um papel secundário no projeto. A Rússia já havia concordado em trabalhar com a NASA nos planos da Plataforma que servirá de posto avançado para futuras missões. De acordo com o head da agência espacial Roscosmos, Dmitry Rogozin, a Rússia pode iniciar o seu próprio projeto.

'The Russian Federation cannot afford to play the second fiddle role in it,' he was quoted as saying by the RIA news agency, without much further elaboration. A spokesman for Roscosmos said later that Russia had no immediate plans to leave the project.'Russia has not refused to take part in the project of the lunar orbit station with the USA,' Vladimir Ustimenko was quoted as saying by the TASS news agency.

A NASA, por sua vez, segue o cronograma do projeto com missões a partir de 2020 quando irá lançar uma Orion não tripulada ao redor da Lua. Mais 3 intermediárias em 2022 e 2023 para, finalmente, em 2024 acoplar uma Orion tripulada à estação Gateway.

EX Post #176 (7/9):
Os tripulantes do terceiro voo (EM-3) da espaçonave Orion irão levar consigo mais dois módulos da nova estação espacial que será posicionada na órbita da Lua, segundo anúncio da NASA. A Gateway, como é chamada, foi projetada para acomodar astronautas por um curto período de tempo servindo como ponto de apoio para missões tripuladas e robóticas na superfície da Lua. Futuramente, Marte. 

5  A Boeing e a SpaceX acreditam que as suas respectivas cápsulas, CST-100 e Crew Dragon já atendem aos requisitos da NASA e estão prontas para iniciar os voos de testes. A principal questão enfrentada pelas empresas era atender uma especificação chamada "perda de tripulação" - uma medida de probabilidade de morte ou incapacitação de um ou mais pessoas nas naves durante uma missão - na proporção de 1 em 270 missões (significativamente mais severo do que o índice utilizado no projeto dos ônibus espaciais). Elon Musk, durante um evento da SpaceX em 17/9 último empurrou seu cronograma um mês a frente: 'We’re hoping to do a test flight of Dragon 2 in December, and then a crewed flight next year, hopefully in the second quarter of next year', segundo a SpaceNews.


EP #151 (3/8):
Novo cronograma da NASA altera as datas de testes das cápsulas Crew Dragon (SpaceX) e CST-100 Starliner (Boeing). A SpaceX fará um voo não tripulado em novembro próximo e um tripulado em abril/19. A Boeing: um voo não tripulado no final de 2018 ou início de 2019 e um tripulado em meados de 2019. Segundo a Boeing os atrasos foram devidos a problemas recentes com os motores para abortagem de lançamentos, durante a realização dos testes. 



São Paulo, 25 de setembro de 2018