Skip to main content

#189 - Centro político: falha articulação para candidatura única

Boa quarta-feira galera. Marina Silva e Henrique Meirelles desistiram na última hora de participar de uma reunião com Alckmin e Álvaro Dias para tentar viabilizar uma união "de centro" capaz de quebrar a polarização que se formou em torno de Bolsonaro e Haddad. Juntos, somam 17% das intensões, segundo o Ibope. O encontro vinha sendo organizado pelo jurista Miguel Reale Júnior. Segue a campanha.

2  Na noite desta quarta-feira (26/9) teremos mais um debate presidencial, dessa vez organizado pelo SBT, Folha de São Paulo e UOL. Bolsonaro, ainda internado no hospital Albert Einstein, não irá. O capitão tem alta prevista para a próxima sexta-feira e, segundo seu médico, ele teria condições de participar do debate da TV Record já no domingo.

crédito: UOL
3  Um Congresso 1/3 menor não é garantia de maior qualificação nos quadros da Câmara e do Senado mas, certamente, vai ao encontro dos anseios de quem defende um Estado focado nas 3 áreas fundamentais: Educação, Saúde e Segurança.

4  O PSDB deve manter suas bancadas no Congresso e o governo em Estados importantes, por enquanto. Dória poderá ser o nome do partido em 2022 mas precisará ser +do que um mero bom gestor em São Paulo. E sim, atuar em estratégias nacionais desde o D+1. Dória tem futuro. A conferir.


5  A eficiência do Bolsa-Família deve ser medida pelo número de pessoas que não precisarem mais do benefício, diz Bolsonaro. Onde foi que eu ouvi algo assim? Ahh, foi numa fala de João Amoêdo. E não precisa ser uma medida que gere economia para o Estado, os recursos podem ficar no programa e reforçar o sistema.

crédito: campanha J.Bolsonaro

6  The Outperformers - A McKinsey Global Institute explica o que levou 18 economias emergentes a ter crescimento de renda per capta acima de 3,5% a.a nos últimos 50 anos, ou pelo menos 5% ao longo dos últimos 20 anos. São países que elevaram a produtividade acumulando capital e tecnologia, dentre outras de viés capitalista. A má notícia: o Brasil não está entre os 18 países. Vejam a matéria:


Aeronáutica e espaço

7  Os intrépidos terráqueos que se aventurarem no espaço profundo por longos período de tempo enfrentarão altas dosagens de radiação durante a jornada. Numa viagem de ida e volta à Marte, os astronautas seriam expostos a no mínimo 60% de toda a dose de radiação que eles poderiam absorver com segurança durante toda a sua carreira. A conclusão foi formulada pelo pessoal da missão ExoMars a partir de dados coletados pela sonda Trace Gas Orbiter (TGO), durante a sua viagem de 6 meses mais o período em que se encontra na órbita do planeta vermelho.



A Agência Espacial Européia (ESA) irá equipar o pousador da missão ExoMars 2020 com o mesmo dosímetro [Liulin-MO] do FREND (Fine Resolution Epithermal Neutron Detector) utilizado na sonda TGO, visando monitorar a radiação cósmica que chega à superfície de Marte. O lançamento está previsto para julho de 2020 e o pouso em março de 2021.

A ExoMars é um programa conjunto entre a Agência Espacial Europeia e a Roscosmos e está em seu segundo estágio de desenvolvimento. O primeiro incluía o lançamento do Trace Gas Orbiter (TGO) europeu e também o Módulo de Demonstração Schiaparelli. No entanto, o Schiaparelli falhou ao tentar pousar em Marte ainda em outubro de 2016. A missão ExoMars-2020 inclui o lançamento do Mars rover europeu e de um módulo de pouso desenvolvido na Rússia. A plataforma russa de pouso será equipada com 11 instrumentos científicos russos e 2 europeus. Já o Mars rover terá 7 instrumentos científicos europeus e 2 russos.

Exploration (ESA):
The rover will leave the surface platform and travel across the surface of Mars to search for signs of well-preserved organic material, particularly from the early period of the planet. The surface platform, which is the responsibility of Roscosmos and the Space Research Institute of Russian Academy of Sciences (IKI), will remain stationary and will investigate the surface environment at the landing site.
The set of sensors and instruments on the surface platform will operate during its nominal mission lifetime of one Earth year.
The main science priorities for the surface platform are context imaging of the landing site, long-term climate monitoring, and atmospheric investigations.





São Paulo, 26 de setembro de 2018