Skip to main content

#235 - Recorde de aproximação do Sol: nunca chegamos tão perto

O recorde de aproximação foi batido pela Parker Solar Probe nesta segunda-feira (29/10) por volta das 1:04 p.m. EDT, segundo a equipe de controladores. A sonda da NASA bateu recorde atual de 26,55 milhões de milhas de distância em relação à superfície do Sol. A previsão é que em algum momento de 2024 a aproximação seja de incríveis 3,83 milhões de milhas.

crédito: NASA

Rob Garner (NASA):
The Parker Solar Probe team periodically measures the spacecraft's precise speed and position using NASA's Deep Space Network, or DSN. The DSN sends a signal to the spacecraft, which then retransmits it back to the DSN, allowing the team to determine the spacecraft's speed and position based on the timing and characteristics of the signal.
Parker Solar Probe will begin its first solar encounter on Oct. 31, continuing to fly closer and closer to the Sun's surface until it reaches its first perihelion — the point closest to the Sun — at about 10:28 p.m. EST on Nov. 5.
The spacecraft will face brutal heat and radiation conditions while providing humanity with unprecedentedly close-up observations of a star and helping us understand phenomena that have puzzled scientists for decades.

EP #157 (13/8):
Após um adiamento por problemas técnicos no dia anterior a Parker Solar Probe foi lançada ao espaço na madrugada deste domingo (12/8). A sonda irá usar a gravidade de Vênus para ajustar a sua rota rumo à sua primeira órbita próxima do Sol no início de novembro. Serão no total 25 órbitas em formato de pétala entre o final de 2018 e meados de 2025 quando a missão se encerrará com o fim do combustível. 
De acordo com o site oficial da missão: A missão terá como objetivos principais: 1) traçar o fluxo de energia e entender o calor na corona solar; 2) explorar os mecanismos que provocam a aceleração das partículas energéticas que formam o  vento solar, provendo dados estatísticos acerca da coroa externa do Sol; 3) determinar a estrutura e a dinâmica do plasma e dos campos magnéticos junto às fontes do vento solar.
No ponto de maior aproximação do Sol, a parte frontal da sonda estará exposta à 1.400 graus Celsius enquanto o módulo eletrônico estará experimentando a temperatura ambiente de uma sala aqui na Terra.
Trajetória: a sonda irá usar 7 sobrevoos no planeta Venus, ao longo de quase sete anos, para gradualmente encurtar a órbita em volta do Sol. Em dezembro de 2024 a Parker estará então a 5,9 milhões de quilômetros, já na órbita de Mercúrio e quase 8 vezes mais próxima do que qualquer outra espaçonave já tenha chegado antes.



São Paulo, 29 de outubro de 2018