Skip to main content

#277 - Funcionários do Google se opõem a projeto censor encomendado por governo chinês

O Project Dragofly tem como objetivo ajudar o governo chinês a construir um motor de busca com mecanismo de censura embarcado. No início de agosto último, o site The Intercept revelou que o Google planeja trabalhar com os chineses para criar um aplicativo de busca que "obedeceria as rígidas leis de censura do país".

crédito: MIT Tech Review

O mecanismo desenvolvido por Mountain View, diz o The Intercept, "restringiria o acesso ao conteúdo que o regime do Partido Comunista de Xi Jinping considera desfavorável".

A nova oposição dos funcionários do Google vem na esteira de um recente protesto contra a má conduta sexual dentro da empresa e de outro, no início de 2018, acerca do Project Maven, este em parceria com o governo americano.

EP#068 (6/4):
Google: 3 mil+ funcionários pedem que a empresa termine o contrato relativo ao Project Maven com o Pentágono. É através dele que a empresa desenvolve sistemas de inteligência artificial para construção de drones militares. Uma carta com mais de 3 mil assinaturas foi entregue ao CEO Sundar Pichai.

Google Employees Against Dragonfly (Medium):
Our opposition to Dragonfly is not about China: we object to technologies that aid the powerful in oppressing the vulnerable, wherever they may be.
The Chinese government certainly isn’t alone in its readiness to stifle freedom of expression, and to use surveillance to repress dissent.
Dragonfly in China would establish a dangerous precedent at a volatile political moment, one that would make it harder for Google to deny other countries similar concessions.




São Paulo, 28 de novembro de 2018