Skip to main content

#282 - China: frota de aeronaves comerciais pode dobrar nos próximos 20 anos

Para a Boeing, a China precisará de algo como 7,7 mil novos aviões até 2038. No que diz respeito aos interesses do Brasil, e em vista da joint venture Boeing-Embraer, 1,4 mil daquele total se refere à aeronaves do porte dos E-jets da empresa brasileira.

EP #249 (7/11):
A previsão foi divulgada por executivos da Embraer durante o 12a China Intl. Aviation & Aerospace Exhibition em Zhuhai. Os dados se referem a aviões com até 150 assentos, exatamente o target da Embraer.
De acordo com a autoridade que controla a aviação na China, a CAAC, mais de 50 aeroportos serão construídos ao longo do atual plano de desenvolvimento do setor e mais 140 até 2035.
E2, crédito: Embraer

Airliner Watch:
Boeing is preparing to deliver the first 737 MAX aircraft this month from its new completion center in Zhoushan, China.
The center will handle the interior work and exterior painting of the 737 MAXs for the Chinese market. However, final assembly work will be done at the Boeing plant in Renton, USA.
Boeing's business in China contributes to the Chinese economy more than $1 billion each year.
This includes purchases from Boeing's extensive supply base, joint venture revenues, operations, training and investments in research and development.


São Paulo, 1 de dezembro de 2018