Pular para o conteúdo principal

#369 - Não, caças J-16 com nova pintura não se tornam "quase furtivos"

Tintas de absorção reduzem a assinatura radar de aeronaves, por certo, porém não o suficiente para que sejam qualificados como "furtivos" ou mesmo "quase furtivos", como fez o jornal estatal chinês Global Times com referência ao caça J-16 Silent Flanker.

J-16. Crédito: Megamag

Dave Axe (National Interest):
On Jan. 29, 2019, Global Times paraphrased air force brigade commander Jiang Jiaji describing the J-16's new silver-gray paint as "a kind of cloaking coating that gives the warplane a certain stealth capability, making it nearly invisible to the naked eye and electromagnetic devices."

Nenhuma tinta pode compensar a forma do avião, em especial as asas, a entrada de ar e o bocal do motor. Formas quadradas, ângulos retos e planos perpendiculares, como é o caso das turbinas em muitos caças, refletem fortemente as ondas de radar.

A USAF, maior operadora mundial de aviões furtivos, reconhece esse fato. Por décadas, a Força Aérea dos EUA tem aplicado diversos tipos de revestimento em seus caças F-16, mas nunca os descreveu como furtivos.
 


São Paulo, 4 de fevereiro de 2019

Assine o Feed        Apoie o Ex Post no Apoia.se